Metodologia

Utiliza-se o sistema progressivo de jiu-jitsu (do simples ao complexo), método desenvolvido pelo mestre da Escola Azambuja Sylvio Behring (filho do mestre Flávio Behring e aluno do mestre Álvaro Barreto, ambos alunos do grande mestre Hélio Gracie), um método completo, simples e eficiente. Ensina-se de maneira positiva e construtiva, fortalecendo a autoconfiança e aprimorando as técnicas do aluno, sendo necessário rever os movimentos e, gradualmente, introduzir novas técnicas para condicionar reflexo.

O ensino é baseado na defesa pessoal, no solo e em pé. No solo o ensino é baseado na gangorra progressiva, com o objetivo de promover uma introdução ao jiu-jitsu brasileiro (a única arte que ensina o praticante a defender-se no solo). A gangorra é dividida em duas partes, uma série de movimentações que condiciona o praticante a movimentar-se corretamente no solo, passando de uma situação de risco para uma de domínio total do oponente. A defesa pessoal em pé aborda diversas situações, onde se simula um confronto na rua para visualização do aluno, realiza-se a defesa correta e finalmente realiza-se o papel do atacante para que o aluno possa defender-se com as orientações do professor, torcendo o seu braço, enforcando-o ou jogando-o no chão.

Primeiramente ensina-se a técnica, após corrige-se os detalhes e por fim ocorre o treinamento do movimento para condicionar o reflexo do praticante. Esta última parte é baseada no estímulo-reflexo, onde o estimulo é a agressão e o reflexo é a defesa (com ênfase na base, no equilíbrio, do praticante).

Após o entendimento do que é jiu-jitsu brasileiro e de um rico repertório técnico, proporcionado pelo treinamento de defesa pessoal, o praticante inicia o treinamento de jiu-jitsu esportivo. Este treinamento é baseado nos progressivos de todas as situações que acontecem no jiu-jitsu esportivo (guarda, passagem de guarda, montada, etc.). Para aplicar os conhecimentos aprendidos, os alunos praticam o “rola”, um sistema de combate onde o objetivo é avançar o domínio e causar a desistência do oponente, com um estrangulamento (movimento, sem causar lesão, que interrompe, temporariamente a irrigação do cérebro) ou torção (movimento, sem causar lesão, que faz a articulações ir ao sue limite).

As aulas:

As aulas possuem duração de uma hora e meia, com uma formação no início (atividade mental de concentração no treinamento) e no final (atividade mental de repasse técnico do treinamento). Todas as aulas possuem aquecimento, composto de alongamento, aquecimento articular e elevação do batimento cardíaco (no início) e uma volta à calma que geralmente é composta de um completo alongamento (no final). Normalmente as aulas são dividas em três partes: físico, técnico e rola e seus tempos variam de acordo com o planejamento de aulas.

A parte física é composta por ginástica natural, corrida com exercícios, malhação, exercícios de força isométrica, treino de flexibilidade, circuito e movimentos técnicos em velocidade (escolinhas). A parte técnica é jiu-jitsu brasileiro na sua essência: defesa pessoal, jiu-jitsu esportivo e judô básico. Por fim, o rola, é o momento de aplicar as técnicas aprendidas contra um oponente (colega de treino) e entender que é necessário utilizar o máximo de técnica unida com o mínimo de força necessária para ter êxito no movimento.

Este é o conteúdo geral das aulas da escola e é dividido pelos dias da semana, de acordo com um planejamento de aulas, para que o treinamento se complete e seja equilibrado.

Competições:

Ao contrario das academias de jiu-jitsu brasileiro, em geral, que enxergam nas competições o seu objetivo principal e o seu ápice do treinamento, formando seus campeões, a Escola Azambuja, tem as competições como uma etapa do caminho. Apenas mais um degrau a ser escalado na formação do praticante, que visa ser uma pessoa melhor.

Aprender a lidar com as vitórias, com as derrotas, com seus medos internos, controlar seus sentimentos, ser determinado e perseverante no treinamento que antecede as competições, analisar quais as técnicas que cada praticante precisa melhorar, são os objetivos da escola Azambuja no que diz respeito a competições. Para isso participamos de competições estaduais, nacionais e mundiais.